Um amante da literatura, da liberdade e do pioneirismo. Assim pode ser descrito Eduardo Peñuela Cañizal, professor espanhol que ajudou a criar a Escola de Comunicações Culturais (ECC), atual Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP), em 1965. Peñuela faleceu no último dia 13 de abril, aos 80 anos, e será homenageado no Compós 2014.

Eduardo Peñuela. Foto: Divulgação

Eduardo Peñuela. Foto: Divulgação

No dia 28, será realizada uma mesa com o presidente da Compós, Eduardo Morettin, além de Sandra Fischer (UTP), Malena Contrera (UNIP) e Norval Baitello (PUC-SP). Na ocasião, serão destacados trechos importantes da história do professor, especialista em Semiótica e Cinema, e de suas contribuições para o campo da Comunicação no Brasil. A homenagem será realizada às 19h, no Auditório do Centro de Eventos Benedito Nunes, na Universidade Federal do Pará (UFPA).

Eduardo Peñuela foi um dos grandes responsáveis pela consolidação da área no país, com participação em diversos programas de pós-graduação, além de exercer cargos de representação junto a agências de fomento nos âmbitos estadual e federal, sendo também diretor da ECA-USP entre 1993 e 1997. Peñuela deixou obras publicadas no Brasil e no exterior, com destaque para os estudos da Semiótica, e realizou o primeiro longa-metragem universitário do país: As Três Mortes de Solano.

 

Serviço:

Homenagem ao Peñuela
Local: Auditório do Centro de Eventos Benedito Nunes, Campus Básico da Universidade Federal do Pará (UFPA)
Hora: 19h
Participantes: Eduardo Morettin (USP e COMPÓS), Sandra Fischer (UTP), Malena Contrera (UNIP) e Norval Baitello (PUC-SP).

Texto: Gustavo Ferreira
Em: 26/05/2014